0

Para deitar sob as estrelas

O que eu mais amo na música é que, assim como nos livros e filmes, ela nos leva para um lugarzinho especial que nossa imaginação faz questão de criar, seja esse lugar feliz, triste, calmo, agitado. Afinal, ninguém nunca disse que especial é sinônimo de feliz né não?

Ultimamente eu ando bem viciada em simplesmente todas as músicas do Jack Johnson. E é justamente sobre ele que eu vou falar nesse post porque, na boa, esse cara merece tudo de bom que possa acontecer na vida de alguém pelo simples fato de fazer músicas tão maravilhosas.

Jack Hody Johnson é um havaiano de 39 anos que encanta o mundo (eu) lançando músicas desde 2001. Antes de meio que se descobrir compondo e cantando ele surfava e acabou fazendo alguns documentários. Eu definitivamente não sei o que o fez começar a carreira como cantor mas agradeço muito por ele ter o feito.

Eu não tenho nem palavras para descrever suas músicas então, aqui vão algumas das que eu mais gosto:

1. Better together

2. Banana pancakes

3. Times like these

4. Dreams be dreams

5. Radiate

Essas músicas não são nem um terço de todas que eu gosto, mas são as que eu mais estou ouvindo ultimamente. Mas e vocês? Já conheciam/gostavam do Jack ou não? Me conta. Os comentários nos deixam com um sorrisão no rosto.

Acredito que por hoje seja isso…

Besitos, Carol

Anúncios
0

Ah, Ed Sheeran

Ok, vocês provavelmente conhecem o Ed, mas se você não conhece, bom, você deveria. Edward Sheeran é um cantor e compositor de 22 anos, britânico, ruivo e super talentoso (eu poderia escrever páginas sobre ele mas vou me resumir a isso).

Eu conheci o trabalho do Ed, não vou mentir, vendo o British Awards do ano passado, o qual que só assisti por causa do One Direction, e simplesmente me apaixonei por aquele ruivo meio fortinho que usava jeans, camiseta e tênis em uma premiação, não só por ele mas pela sua voz também. No dia seguinte já fui procurar algumas músicas dele pra ouvir, claro que eu não consegui até hoje encontrar uma que eu goste mais.

Acontece que alguns meses atrás eu me peguei vendo vídeos dele e sabe, as pessoas não gostam dele só pela música ou por ele ser bonito. Vemos muitas pessoas no ramo da música que só estão lá pra vender, ganhar dinheiro e ponto, com o Ed não é assim, aprendi com o tempo que venho acompanhando o trabalho dele que ele é uma pessoa muito conceitual, ele gosta que as coisas façam sentido e tenham algum significado importante, nem que seja só pra ele.

Pessoas que conseguem transmitir quem elas são e o que pensam através do seu trabalho, seja qual for, são raras e o Ed consegue isso. E muitas pessoas podem dizer que isso é ser puxa saco, mas eu acredito que quando uma pessoa faz algo especial, ela automaticamente se torna uma pessoa especial.

Nos dias em que eu já passei refletindo sobre o significado da vida e essas coisas profundas entendi que a música não é algo fútil, é só algo que ameniza a nossa passagem por aqui, pela razão que seja, é uma forma de tornar tudo mais fácil. Músicas boas, que transmitem mensagens, conceitos, ideias, que compartilhem momentos, que inspire o mundo a ser diferente, ou a continuar igual, não passam de confortos para tudo isso que vivemos. Não importa o que você está sentindo, mas está sempre ouvindo música.

Enfim, saindo da filosofia e voltando para o meu cantor favorito: o Ed está em uma fase que eu considero muito boa, na realidade. Ele acabou de fazer uma turnê com a Taylor Swift e agora encerrando a turnê do próprio álbum “+”. Além disso, ele já começou a gravar o novo CD (pelo qual estou ansiosíssima) e, bom, a intenção dele era liberar as músicas logo depois de gravar, para os fãs, na internet, masss a gravadora vetou essa ideia, como o Ed é bem teimoso, diga-se de passagem, no seu primeiro show dessa semana (29/10) no Madison Square Garden ele cantou uma música nova chamada Tenerife Sea.

Enfim, espero que tenham gostado, se não o conheciam, ou simplesmente se apaixonado ainda mais pelo Ed.

Besitos, Carol Thaís

4

10 Covers que você precisa ouvir.

Quem não gosta de música boa? Melhor ainda é quando aquela música que já é boa é cantada por outra pessoa, que parece deixar a música ainda melhor. Por isso separei alguns covers que eu gosto muito, e espero que vocês gostem também.

1. Let me love you – The Wanted (Ne-Yo)

A versão do The Wanted da música Let Me Love You, ficou menos agitada do que a versão original do Ne-yo.

2. Just a dream – Sam Tsui  & Christina Grimmie (Nelly)

Esse cover já é velhinho, mas eu amo de paixão desde a primeira vez que eu ouvi.
3. Baba – Maria Gadú (Kelly Key)

Toda vez que ouço esse cover sinto um orgulho imenso da Maria Gadú, por conseguir deixar uma música da Kelly Key boa.
4. I Knew You Were Trouble – Ed Sheeran (Taylor Swift)


O bff da Taylor Swift também resolveu fazer um cover da amiga.
5. She Will Be Loved – Tiffany Alvord & Boyce Avenue (Maroon 5)


Tiffany Alvord tem milhares de covers, um mais legal que o outro, foi difícil escolher qual música colocar na listinha.
6. Use Somebody – Paramore (Kings Of Leon)


Música linda + Uma das minhas bandas preferidas = Perfeição.
7. Party Rock Anthem – Karmin (LMFAO)


A Karmin, que já está fazendo sucesso por aí, também começou postando seus cover no youtube. O meu preferido é esse, Party Rock Anthem.
8. How to love – Demi Lovato (Lil Wayne)


Eu acho que essa música e a Demi, com sua voz maravilhosa, casaram super bem. Ela canta com tanta emoção, que consegue transmitir seus sentimentos para que ouve.
9. All you need is love – The Pretty Reckless (Beatles)


Para homenagear a maior banda de rock de todos os tempos, uma das bandas de rock atual e uma das minhas preferidas também, resolveu fazer um cover de All You Need Is Love, dos Beatles.
10. OMG – Cher Lloyd ( Will. I. Am.)

A versão de OMG da britânica Cher Lloyd, não ficou tão dançante quanto a versão de Will.I.Am, mas ainda assim ficou muito boa.

Gostou da minha listinha? Qual outro cover você gosta? Deixe nos comentários.
Beijinhos, Roberta.

8

We are PARAMORE.

30 de julho de 2013 vai entrar para a lista dos melhores dias da minha vida. Sim gente, eu fui ao show da banda Paramore 😀

Sou fã da banda desde 2007 quando eu vi pela primeira vez o clipe de “That’s What You Get”. Desde então não parei de acompanhar os passos da banda. Porém, mesmo com tantas passagens no Brasil, eu só tive a oportunidade de ir ao show deles este ano, pois eu já tinha idade para entrar sozinha em um show de rock e para ficar o dia todo na fila.

Nós chegamos no Espaço das Américas (Barra Funda) 8:30, e ficamos na fila até 19:30 que foi a hora em que abriram os portões. Na fila nós conhecemos várias pessoas e até fizemos amizades.

A banda que abriu o show foi a Summer, que até fizeram covers cantando “Mulher de Fases” dos Raimundos e “Papo Reto” do Charlie Brown Jr. em homenagem ao Chorão, ídolo do rock nacional que faleceu este ano.

Às 21:30 em ponto o Paramore entrou cantando “Moving On” e fazendo todo mundo pular (e empurrar). Depois eles cantaram “Misery Business”; “For a Pessimist, I’m Pretty Optimist”; a música tema de Crepúsculo que todo mundo conhece “Decode”; o novo hit “Now”; “Renegade”; “Pressure” (o Taylor e o Jeremy fizeram um Flip nessa música); “Ain’t It Fun”, a música em que TODOS choraram (inclusive eu) “The Only Excepition”;

BeFunky_paramore.jpg

“Let the Flames Begin”; “Fast In My Car” (que eu pulei muuuuito); “Ignorance” (que nós fizemos um bate cabeça haha); ” Looking Up”; “Whoa” (nessa música a Hayley chamou 6 pessoas para subir no palco e cantar com eles, fez uma brincadeira com o público, e deu várias risadas gostosas); “Anklebiters” ( a minha preferida); “That’s What You Get”; o single do novo álbum “Still Into You” (nessa música todo mundo jogou bexigas coloridas para o alto, e ficou LIN-DO); nesse momento eles deram uma parada, saíram do palco mas logo voltaram para cantar “Proof” e “Brikc By Boring Brick” e então encerram o show.

 Apesar de muita gente ter passado mal (perto de mim :p), foi muuuuuuito bom. Pulei muito, gritei muito, cantei muito e aproveitei o máximo que eu pude. Já estou com saudades do show, queria tudo de novo.

And for those who don’t know us: WE – ARE – PARAMORE!

Post: Roberta

Fotos: Karina Hammond

7

Ten thousand apologizes and excuses

Eu queria pedir dez mil desculpas pra vocês por ficar tanto tempo sem postar, e com o ‘vocês’ eu incluo a Roberta porque eu sei que já tava ficando chato. 

Enfim, resolvi fazer um texto falando de desculpas porque era o que eu queria pedir. Sintam o nível do bloqueio criativo. 

Todo mundo tem seus dramas particulares, todo mundo tem problemas, veja só, se não tivéssemos nenhum problema, bom, isso já seria um problemão. Outro problema é que ao invés de sairmos para resolver tudo isso, ficamos sentados esperando uma solução, e reclamando o quanto ela está demorando a aparecer. Viu como é fácil fazer de tudo um problema?

Muitas coisas me irritam, mas acho que o que mais me irrita é esse pessoal que reclama até de soluções que seriam uma mão na roda para os outros. Seu pai tirou seu celular? Nossa, que problemão! Você deve ter merecido. Sua mãe não deixou você sair? Meu Deus, que absurdo, ela realmente não quer seu bem né? Vocês veem onde eu quero chegar? Ao invés de assumirmos os nossos próprios erros, os tornamos problemas, isso é uma desculpa para quem nos tornamos. 

A vida é muito mais do que errar, e não assumir os seus erros te faz menos pessoa, mais covarde. Se fossemos mais corajosos em confiantes em relação ao que fazemos, mesmo assim erraríamos, mas seria menos. Teríamos menos problemas, menos desculpas e menos complicações.

É como diz uma música d’O Teatro Mágico: “…no fundo é simples ser feliz, difícil é ser tão simples…”

Desculpas de novo, e obrigada por ler.

Carol Thaís

7

Metamorfose Ambulante

http://www.youtube.com/watch?v=bynOlbflyx8

Semana passada eu, a Rô, a Lari e um amigo nosso estávamos comentando como nós mudamos, como crescemos, e nem passou tanto tempo. Eu, por exemplo, vejo uma grande mudança de quem eu era há alguns meses atrás e quem eu sou agora.

Para a maioria das pessoas, essas mudanças são imperceptíveis e irrelevantes, mas, para mim, nossa, mudou tanto. Acho que como somos obrigados a convivermos com essa pessoa que somos precisamos mudar sempre, desde mudanças mais aparentes, como o corte de cabelo, até as mudanças mais sutis, como a opinião sobre alguma coisa.

Sempre que eu vejo alguém depois de muito tempo eu fico imaginando quais foram as mudanças na vida dessa pessoa durante esse tempo que não nos vimos, é um pouco estranho,  mas acho que já está bem claro que eu sou estranha né? Só que o mais importante, não é reparar na mudança dos outros, e sim, na própria.

Nem tudo o que muda na gente é para o bem, apesar de sempre tentarmos mudar para melhor não é isso que acontece. Estamos bem, e aí, do nada, de repente, alguma coisa acontece, algum amigo te decepciona, algum namorado (a) te larga, alguém querido morre. Fim. Isso basta para mudarmos o nosso comportamento, a nossa opinião, o nosso jeito de ser. 

Cabe a nós mesmos fazer com que isso não afete a nossa essência, é o mais importante no final de tudo. 

É como dizia o Maluco Beleza: “É chato chegar a um objetivo num instante, eu quero viver nessa metamorfose ambulante…”

Besitos, Carol Thaís

P.S.: Rô, eu sei que a gente combinou de postar outra coisa, mas me veio esse texto na mente e eu tive que postar ❤