0

Para deitar sob as estrelas

O que eu mais amo na música é que, assim como nos livros e filmes, ela nos leva para um lugarzinho especial que nossa imaginação faz questão de criar, seja esse lugar feliz, triste, calmo, agitado. Afinal, ninguém nunca disse que especial é sinônimo de feliz né não?

Ultimamente eu ando bem viciada em simplesmente todas as músicas do Jack Johnson. E é justamente sobre ele que eu vou falar nesse post porque, na boa, esse cara merece tudo de bom que possa acontecer na vida de alguém pelo simples fato de fazer músicas tão maravilhosas.

Jack Hody Johnson é um havaiano de 39 anos que encanta o mundo (eu) lançando músicas desde 2001. Antes de meio que se descobrir compondo e cantando ele surfava e acabou fazendo alguns documentários. Eu definitivamente não sei o que o fez começar a carreira como cantor mas agradeço muito por ele ter o feito.

Eu não tenho nem palavras para descrever suas músicas então, aqui vão algumas das que eu mais gosto:

1. Better together

2. Banana pancakes

3. Times like these

4. Dreams be dreams

5. Radiate

Essas músicas não são nem um terço de todas que eu gosto, mas são as que eu mais estou ouvindo ultimamente. Mas e vocês? Já conheciam/gostavam do Jack ou não? Me conta. Os comentários nos deixam com um sorrisão no rosto.

Acredito que por hoje seja isso…

Besitos, Carol

0

The Neon Lights Tour

 

OMG! O dia 25 de abril de 2014 acaba de entrar para a minha lista de “Os melhores dias da minha vida”. O motivo? Demetria Devonne Lovato. Sim gente, eu realizei mais um sonho, fui ao show da Demi Lovato aqui em São Paulo neste sábado (25/04), e vou contar tudo para vocês.

Como eu tinha assuntos pendentes na escola para resolver sexta feira, eu tive que dar uma passada por lá, então fui embora 12:00, quando acabou a penúltima aula. Cheguei No Citybank Hall (Santo Amaro) quase 14:00 (eu moro bem longe de Santo Amaro, por isso a demora) e fui direto para a fila. Ouvi dizer que alguma pessoas chegaram lá às 6 da manhã, então achei que a fila fosse estar bem maior do que realmente estava.

Ao puxar assunto com as meninas que estavam atrás de mim na fila, descobri que uma delas estuda na mesma escola que eu e a outra estudava até o ano passado. Coincidência não?! Que mundo pequeno gente! Mais tarde, nós fizemos amizades com as meninas que estavam na nossa frente, e ficamos todas muito amigas. Tiramos fotos, trocamos Whatsapp, instagram, facebook, snapchat e todas essas rede sociais. Cantamos tudo o que é tipo de música, gritamos, rimos muuuuito, fofocamos e tudo mais, parecia que nós já nos conhecíamos há anos.

Os portões abriram às 20:00. Algumas meninas que já tinham ido ao show da Demi em 2012, que foi no mesmo lugar, me disseram que em 2012 houve a maior confusão na hora da entrada. Todo mundo saiu correndo e alguma pessoas chegaram a ser pisoteadas. Graças a Deus este ano foi tranquilo. Ninguém correu na fila para entrar, e na porta tinham seguranças revistando um por um. Quando todas nós entramos, aí sim corremos e fomos direto para o lugar mais vazio, que era quase no canto, mas bem pertinho da grade (grade da pista comum, mas grade).

A banda de abertura foi uma girl band latina chamada Rosso Sisters, que foi escolhida pela própria Demi para abrir o show. Eu nunca tinha ouvido falar nelas e nem tinha me dado o trabalho de procurar alguma música delas para escutar antes do show. Elas foram bem pontuais e entraram às 21:00. A música delas junto com as roupas, coreografias e penteados me lembrou muito as Spice Girls. Eu achei bem legalzinha algumas músicas delas. Quem quiser ouvir o vídeo está aqui em baixo:

Às 22:00 em ponto um vídeo começou a ser exibido no telão e eis que Demi Lovato entra no palco cantando seu hit “Heart Attack”. A segunda música foi “Remember December”, que ela fez uma versão meio que acústica. A terceira música foi “Fire Starter” <3. A quarta “The Middle”. Na quinta música, “Really Don’t Care, que na versão original Demi faz uma parceria com a cantora Cher Lloyd, mas no show de sábado quem dividiu o palco com a Demi foi sua irmã mais nova, Maddie Lovato, até agora eu não acredito que eu presenciei esse momento :’)

Em seguida Demi cantou “Stop The World”. Depois foi uma das músicas mais fofinhas da Demi “Catch Me”, e ela ainda tocou violão nessa música. Em seguida foi a vez de “Here We Go Again” versão acústica, eu sinceramente não sei qual versão é melhor: A acústica ou a original que é meio rockzinho. Depois foi um dos singles do último disco, ” Made in the USA”, no final dessa música a Demi trocou o “Made in the USA” por “Made in Brazil”e depois por “Made in São Paulo” ❤ A canção seguinte foi a que me fez chorar feito um criança que é separada da sua mãe: “Nightingale”. A música nightingale é uma espécie de gritpo de socorro, em que ela se sente sozinha e procurar alguém para que seja o pássaro para guia-la e trazer sanidade para seu coração. Depois foi a vez de “Two Pieces” que eu lembrei da Carol haha. A música seguinte foi uma das músicas mais marcantes da Demi, que se chama “Warrior”, que significa “Guerreira”. Nesta música ela fala sobre toda superação da vida dela, e que agora ela é uma guerreira, e que está mais forte do que nunca e ninguém pode machucá-la novamente. Ah, chorei muuuuuuito nessa música também hehe. A próxima música foi a música do filme “Frozen”, “Let it Go”. Depois veio “Don’t Forget”, “Got Dynamite”, “Unbroken” e a mais badalada de todas “Neon Lights” que no final caiu papelzinho neon picado em todo o público. Em seguida veio “Skyscraper” que foi outra música muito marcante da Demi, que chegou até a ser single do penúltimo álbum da cantora. “Skyscraper” foi lançada pouco tempo depois da Demi sair da clinica de reabilitação. Na música ela diz que por mais que as pessoas tentem derrubá-la ela estará de pé, firme e forte como um arranha-céu. E então veio a última música “Give Your Heart a Break” que é mais um single do último álbum.

Em um momento do show, a Demi faz um pequeno discurso sobre as sua história, de como enfrentou os distúrbios alimentares, a automutilação, o bullying, e a ausência de seu pai (que por um tempo foi alcoólatra). A cantora disse “Não importa pelo que vocês estejam passando, vocês vão conseguir superar. Eu sou prova viva disso.” e ainda disse “Cada uma de vocês é linda e merece ser amada”. Esse é o motivo pelo qual eu comecei a gostar tanto da Demi. Eu até curtia as músicas dela na época de Camp Rock, mas não era fã. Depois que toda a verdade se revelou, e que a Demi foi internada por conta de seus distúrbios, e depois conseguiu dar a volta por cima e ainda ajudar as pessoas que passam pelo o mesmo que ela passou, eu me tornei grande fã dela.

Quem aí é fã da Demi? Alguém foi a algum show dela? Quem se identifica ou se inspira na diva? Deixem nos comentário. Xoxo, Roberta.

0

Ah, Ed Sheeran

Ok, vocês provavelmente conhecem o Ed, mas se você não conhece, bom, você deveria. Edward Sheeran é um cantor e compositor de 22 anos, britânico, ruivo e super talentoso (eu poderia escrever páginas sobre ele mas vou me resumir a isso).

Eu conheci o trabalho do Ed, não vou mentir, vendo o British Awards do ano passado, o qual que só assisti por causa do One Direction, e simplesmente me apaixonei por aquele ruivo meio fortinho que usava jeans, camiseta e tênis em uma premiação, não só por ele mas pela sua voz também. No dia seguinte já fui procurar algumas músicas dele pra ouvir, claro que eu não consegui até hoje encontrar uma que eu goste mais.

Acontece que alguns meses atrás eu me peguei vendo vídeos dele e sabe, as pessoas não gostam dele só pela música ou por ele ser bonito. Vemos muitas pessoas no ramo da música que só estão lá pra vender, ganhar dinheiro e ponto, com o Ed não é assim, aprendi com o tempo que venho acompanhando o trabalho dele que ele é uma pessoa muito conceitual, ele gosta que as coisas façam sentido e tenham algum significado importante, nem que seja só pra ele.

Pessoas que conseguem transmitir quem elas são e o que pensam através do seu trabalho, seja qual for, são raras e o Ed consegue isso. E muitas pessoas podem dizer que isso é ser puxa saco, mas eu acredito que quando uma pessoa faz algo especial, ela automaticamente se torna uma pessoa especial.

Nos dias em que eu já passei refletindo sobre o significado da vida e essas coisas profundas entendi que a música não é algo fútil, é só algo que ameniza a nossa passagem por aqui, pela razão que seja, é uma forma de tornar tudo mais fácil. Músicas boas, que transmitem mensagens, conceitos, ideias, que compartilhem momentos, que inspire o mundo a ser diferente, ou a continuar igual, não passam de confortos para tudo isso que vivemos. Não importa o que você está sentindo, mas está sempre ouvindo música.

Enfim, saindo da filosofia e voltando para o meu cantor favorito: o Ed está em uma fase que eu considero muito boa, na realidade. Ele acabou de fazer uma turnê com a Taylor Swift e agora encerrando a turnê do próprio álbum “+”. Além disso, ele já começou a gravar o novo CD (pelo qual estou ansiosíssima) e, bom, a intenção dele era liberar as músicas logo depois de gravar, para os fãs, na internet, masss a gravadora vetou essa ideia, como o Ed é bem teimoso, diga-se de passagem, no seu primeiro show dessa semana (29/10) no Madison Square Garden ele cantou uma música nova chamada Tenerife Sea.

Enfim, espero que tenham gostado, se não o conheciam, ou simplesmente se apaixonado ainda mais pelo Ed.

Besitos, Carol Thaís

4

10 Covers que você precisa ouvir.

Quem não gosta de música boa? Melhor ainda é quando aquela música que já é boa é cantada por outra pessoa, que parece deixar a música ainda melhor. Por isso separei alguns covers que eu gosto muito, e espero que vocês gostem também.

1. Let me love you – The Wanted (Ne-Yo)

A versão do The Wanted da música Let Me Love You, ficou menos agitada do que a versão original do Ne-yo.

2. Just a dream – Sam Tsui  & Christina Grimmie (Nelly)

Esse cover já é velhinho, mas eu amo de paixão desde a primeira vez que eu ouvi.
3. Baba – Maria Gadú (Kelly Key)

Toda vez que ouço esse cover sinto um orgulho imenso da Maria Gadú, por conseguir deixar uma música da Kelly Key boa.
4. I Knew You Were Trouble – Ed Sheeran (Taylor Swift)


O bff da Taylor Swift também resolveu fazer um cover da amiga.
5. She Will Be Loved – Tiffany Alvord & Boyce Avenue (Maroon 5)


Tiffany Alvord tem milhares de covers, um mais legal que o outro, foi difícil escolher qual música colocar na listinha.
6. Use Somebody – Paramore (Kings Of Leon)


Música linda + Uma das minhas bandas preferidas = Perfeição.
7. Party Rock Anthem – Karmin (LMFAO)


A Karmin, que já está fazendo sucesso por aí, também começou postando seus cover no youtube. O meu preferido é esse, Party Rock Anthem.
8. How to love – Demi Lovato (Lil Wayne)


Eu acho que essa música e a Demi, com sua voz maravilhosa, casaram super bem. Ela canta com tanta emoção, que consegue transmitir seus sentimentos para que ouve.
9. All you need is love – The Pretty Reckless (Beatles)


Para homenagear a maior banda de rock de todos os tempos, uma das bandas de rock atual e uma das minhas preferidas também, resolveu fazer um cover de All You Need Is Love, dos Beatles.
10. OMG – Cher Lloyd ( Will. I. Am.)

A versão de OMG da britânica Cher Lloyd, não ficou tão dançante quanto a versão de Will.I.Am, mas ainda assim ficou muito boa.

Gostou da minha listinha? Qual outro cover você gosta? Deixe nos comentários.
Beijinhos, Roberta.

8

O novo (e polêmico) vídeo da Miley Cyrus.

Desde que eu estava na barriga da minha mãe sou mega fã da Disney. Sempre fui apaixonada pelos desenhos, filmes e séries da Disney Channel. Quando eu assisti pela primeira vez na minha vida Hannah Montana (sim, eu ainda me lembro), eu fiquei maravilhada com a história de uma menina que tinha o sonho de ser cantora, mas também queria continuar sendo uma menina normal, e que acaba conseguindo o melhor dos dois mundos. Como consequência, virei fã da Miley Cyrus, a atriz que interpretava a Hannah e também era cantora.

Passados cinco anos a série acabou 😦 mas Miley Cyrus não quis deixar sua carreira músical. E agora, com 20 anos, a cantora está lançando mais um álbum. Desse vez, suas músicas serão bem diferentes do que ela já fez nos álbuns anteriores. O álbum ainda não foi lançado, mas podemos concluir que será diferente por conta de pistas que a cantora anda deixando por aí. Comecemos pelo seu novo corte radical de cabelo, oque para uma mulher significa uma nova fase, um período de mudanças.

 

 O primeiro single lançado, foi “We Can’t Stop”, que depois do vídeo clipe, foi muito comentado por pessoas do mundo inteiro. Entre elas, a cantora pop, Lady Gaga, que disse:  “Quero dizer, eu acho que todo mundo precisa relaxar e deixá-la em paz . Porque isso é a música pop. Todo mundo tem direito à sua própria expressão artística, e se você tiver algum problema com isso, basta mudar de canal. Eu não entendo a necessidade incessante de falar constantemente e odiar o tempo todo porque, calma aí, ela tem 20 anos? Então, ela tem o meu respeito. Você sabe, ela está crescendo na frente de todo o mundo e talvez ela não esteja tão feliz com as coisas que fez em sua carreira quando era mais jovem e ela quer ser livre, deixem-na fazer o que ela quer.Mas a maioria dizia que Miley Cyrus tinha ido longe de mais por aparecer em roupas íntimas e fazendo movimentos vulgares.

No final do mês passado, houve uma premiação muito importante e conhecida, nos EUA, o  VMA (Video Music Awards) onde eles premiam os melhores artistas do ano. Com certeza, Miley Cyrus foi a artista mais polêmica da noite, por conta de sua performasse extravagante, exagerada, e obscena.

 

E agora, nesta última semana, foi lançado seu último vídeo clipe, Wrecking Ball, em que a cantora aparece nua.

Miley

O vídeo:

Nota Pessoal:

 O objetivo deste post não é exatamente falar sobre a Miley Cyrus e sua história. O meu objetivo neste texto é falar sobre a minha opinião em relação a toda essa polêmica que anda girando em torno da cantora. Eu acompanho o trabalho da Miley desde o ínicio de sua carreira, e desde que eu era uma daquelas crianças tietes. Como eu, a Miley também era uma criança, e assim como eu, ela também cresceu. Não estou falando como uma antiga fã, mas sim como uma observadora. Muita gente anda dizendo que ela mudou, e que está se desvalorizando, mas eu acho que ela apenas cresceu, como qualquer pessoa. Oque ela faz nos clipes, e nas suas performasses não é tão vulgar assim. Há tantos artistas que fazem coisas mais obscenas e são considerados sexy e talentosos (as). Se esses podem ter sua vez, a Miley também pode, não é porque ela protagonizava um personagem infantil, que ela tem que ficar nessa área para sempre. Ainda acredito que a voz que ela tem cobre todo esse tipo de crítica. Eu admiro a coragem que ela tem, de ser ela mesma, de não se importar com oque os outros vão pensar ou falar, de ser livre, de fazer oque ela quer fazer, de acreditar nela mesma, de não ter medo de ser feliz. Talvez, nós temos que aprender um pouco sobre essa coisa de “Como Deixar O Seu Medo De Lado” com ela.

 Deixe seu comentário, fale oque você acha dessa nova fase da Miley Cyrus. Você gosta? É fã? Acha ela vulgar? Conte-nos!

Post feito por Roberta Tokunaga.

8

We are PARAMORE.

30 de julho de 2013 vai entrar para a lista dos melhores dias da minha vida. Sim gente, eu fui ao show da banda Paramore 😀

Sou fã da banda desde 2007 quando eu vi pela primeira vez o clipe de “That’s What You Get”. Desde então não parei de acompanhar os passos da banda. Porém, mesmo com tantas passagens no Brasil, eu só tive a oportunidade de ir ao show deles este ano, pois eu já tinha idade para entrar sozinha em um show de rock e para ficar o dia todo na fila.

Nós chegamos no Espaço das Américas (Barra Funda) 8:30, e ficamos na fila até 19:30 que foi a hora em que abriram os portões. Na fila nós conhecemos várias pessoas e até fizemos amizades.

A banda que abriu o show foi a Summer, que até fizeram covers cantando “Mulher de Fases” dos Raimundos e “Papo Reto” do Charlie Brown Jr. em homenagem ao Chorão, ídolo do rock nacional que faleceu este ano.

Às 21:30 em ponto o Paramore entrou cantando “Moving On” e fazendo todo mundo pular (e empurrar). Depois eles cantaram “Misery Business”; “For a Pessimist, I’m Pretty Optimist”; a música tema de Crepúsculo que todo mundo conhece “Decode”; o novo hit “Now”; “Renegade”; “Pressure” (o Taylor e o Jeremy fizeram um Flip nessa música); “Ain’t It Fun”, a música em que TODOS choraram (inclusive eu) “The Only Excepition”;

BeFunky_paramore.jpg

“Let the Flames Begin”; “Fast In My Car” (que eu pulei muuuuito); “Ignorance” (que nós fizemos um bate cabeça haha); ” Looking Up”; “Whoa” (nessa música a Hayley chamou 6 pessoas para subir no palco e cantar com eles, fez uma brincadeira com o público, e deu várias risadas gostosas); “Anklebiters” ( a minha preferida); “That’s What You Get”; o single do novo álbum “Still Into You” (nessa música todo mundo jogou bexigas coloridas para o alto, e ficou LIN-DO); nesse momento eles deram uma parada, saíram do palco mas logo voltaram para cantar “Proof” e “Brikc By Boring Brick” e então encerram o show.

 Apesar de muita gente ter passado mal (perto de mim :p), foi muuuuuuito bom. Pulei muito, gritei muito, cantei muito e aproveitei o máximo que eu pude. Já estou com saudades do show, queria tudo de novo.

And for those who don’t know us: WE – ARE – PARAMORE!

Post: Roberta

Fotos: Karina Hammond